Sabores de Londrina A. Yoshii acontece no sábado (19): evento resgata quitutes do Baiano, o Rei da Batida

Londrina é uma jovem cidade. Em dezembro, completa 85 anos de um crescimento veloz, plural e criativo. Entre avenidas, pés de café e grandes prédios havia também espaços que acolhiam a alma da cidade que nascia: os botecos, botequins, bares, restaurantes! E é nessa jornada pelos sabores de Londrina que a A. Yoshii propõe que seus clientes embarquem. 

Do croquete de carne à batidinha de côco, o ‘Baiano, O Rei da Batida’ e o Baixa Experimenta convidam os clientes A. Yoshii para uma viagem no tempo da boemia londrinense. A degustação acontece neste sábado (19), das 11h às 16h no Show Room da A. Yoshii (Av. Me. Leônia Milito, 1800). 

Com música ao vivo e chopp da cervejaria Geada Negra para acompanhar, o cardápio traz uma viagem por aromas, sabores e cores que resgatam recordações boas da nossa cidade e de sua gente querida.

Para comer

Inaugurado em 1969, o Baiano foi o primeiro bar a vender batidinhas e salgados fritos na hora. Do boteco onde as pessoas sentavam-se sobre caixotes de madeira, ao agitado ‘aquece’ para a balada nos anos 80 e 90, o Baiano se tornou um tesouro da família Kanashiro, que guarda até hoje a maestria de suas receitas. 

Degustação dos quitutes do “Baiano, o Rei da Batida” acontece no sábado (19) no show room da A. Yoshii.

Entre os clássicos da casa, teremos o croquete de carne, criado por Cecília Kanashiro, esposa do Baiano, antes de 1969! Outro ícone do cardápio é o Patamares, um macarrão à milanesa ao molho bolonhesa. Na ala dos drinks, não poderiam faltar as famosas batidinhas de côco e de morango. Junto aos salgados fritos na hora, as bebidas foram as responsáveis pelo grande sucesso do Baiano em Londrina.

O tradicional croquete de carne do Baiano, que derrete a cada mordida!

Além dos salgados que marcaram época, o menu também terá outros clássicos como pastel de queijo, brusquetta de carne acebolada, coxinha de frango com catupiry e novidades que já vem ganhando o público, como os dadinhos de tapioca, a pancetta com geleia de goiaba e pimenta, o ravióli del pin de cabotiá com molho de camarão e uma leve salada caprese.

Ravióli Del Plin com molho de Camarão também faz parte do cardápio!

Cervejaria Londrinense

Voltada para o mercado da cerveja artesanal, a marca Londrinense homenageia através de suas receitas a grandeza do regionalismo brasileiro e as histórias de luta e superação carregadas por nossas famílias em cada canto de nosso país. Durante o evento “Sabores Londrinenses” o público poderá provar três estilos de cerveja:  Lager “Tucunaré”, Witbier “João de Barro” e a IPA “Jaguatirica”. 

Cervejaria londrinense Geada Negra leva seus chopps para o evento. Foto: divulgação.

Sobre o “Baiano, o Rei da Batida”

Era dezembro do ano de 1969, quando Antônio e Cecília Kanashiro chegaram na famosa Londrina. As notícias de que a cidade do café tinha terra fértil para prosperar animou o jovem, que era comerciante de frutas em São Paulo. “Ele veio com a cara, com a coragem e quatro filhos nas costas!”, conta Guto, filho do casal.

Batidinhas?! Que isso?

Nas regiões Nordeste e Sudeste do país era costume, na época, misturar frutas com bebidas alcoólicas. Mas, na Londrina de 1969 não havia nada igual! E foi assim que o primeiro Baiano surgiu. 

“Ali na Rua São Luiz, perto do Viscardi! Um barracão ‘caindo aos pedaços’. O pessoal sentava lá nuns caixotes de madeira! Em 74 fomos para a Av. Tiradentes com a Av. Rio Branco até 90. De 91 a 99, na Av. Maringá.  E de 2000 a 2006 na Higienópolis”, recorda o filho.

Hoje a família serve refeições diárias no restaurante da AREL e também em uma sede, na Gleba Palhano. 

Salgados fritos na hora!

O sucesso todo do Baiano não foi apenas pela batidinha! Para acompanhar o goró, dona Cecília Kanashiro colocou seu talento em cena. Fritava na hora o saboroso croquete de carne, o bolinho de bacalhau e o bolinho de queijo! Perguntamos ao Guto qual o segredo para esses salgadinhos serem tão bons: “Uma receita super simples, o segredo é que tem o ponto certo dos ingredientes, produtos de qualidades”, diz.  

Outra delícia que se tornou um clássico do Baiano foi uma invenção da Cecília e de sua irmã. Fazendo comida em casa, a dupla descobriu que macarrão empanado era bom demais. E assim surgiu o Patamares, um macarrão a milanesa com queijo e molho bolonhesa caseirinho. 

Mas, por que o Baiano chama Baiano?

Guto conta que lá no começo dos negócios da família Kanashiro, chegou um cliente perguntando: “Aqui que é o baiano?”. Seo Antônio respondeu, bravo, que ele não era baiano não. Era japonês, de São Paulo. 

Mesmo assim, sarrista como um típico cliente de boteco, o rapaz ousou:  “É baiano sim, nunca vi japonês fazer batida, então você é baiano, sim!”. O apelido pegou e, desde então, o japonês virou para sempre o baiano, o Rei da Batida! 

Como participar:

O evento é gratuito e foi criado especialmente para clientes e convidados conhecerem o pré-lançamento A.Yoshii no coração da Gleba Palhano, próximo ao Shopping Aurora! O empreendimento terá 113m privativos, excelentes opções de planta e área de lazer completa! Para informações sobre o convite, basta enviar um WhatsApp para (43) 99154-0121.

.

Sabores de Londrina – “Baiano, o Rei da Batida”

Sábado (19 de outubro), das 11h às 16h

Show Room da A. Yoshii (Av. Me. Leônia Milito, 1800)

Convites pelo WhatsApp: (43) 99154-0121

Atenção: as informações, promoções e preços descritos referem-se a data da publicação e estão sujeitos a alterações sem aviso prévio.

Publicado por